Importância de imprimir fotografias — Diana Morais Fotografia

Diana Morais Fotografia

Com a evolução da tecnologia e o acesso rápido que temos às fotografias, acabamos por nos esquecer de que tê-las fisicamente é tão importante quanto captá-las.

Quando vemos as fotografias somos imediatamente envolvidos pela nostalgia. Quer seja por recordarmos aquilo que já vivemos, ou por revermos a nossa família e aqueles que já partiram.
Se ainda não o fizeram, sugiro que o façam! Um domingo chuvoso à tarde, no quentinho da lareira pode ser o momento ideal para, em família, ver e reviver aqueles momentos. Cá por casa o Pedro ainda não liga muito, mas a Bárbara fica mesmo interessada em ver como eram os tempos de antigamente e gosta especialmente das fotografias a preto e branco.

Diana Morais Fotografia sessão
Diana Morais Fotografia Sessão

Vou contar uma pequena história que aconteceu comigo. Como fotógrafa que sou, vivo rodeada de discos externos e confio neles para guardar as minhas memórias. Acontece que há cerca de 2/3 anos, o meu disco externo pessoal morreu… foi-se para todo o sempre! Ainda tentamos recuperar alguma coisa junto de amigos entendidos na matéria, mas não havia nada a fazer. E com ele foram todas as nossas memórias de solteiros, casados e até os primeiros anos de vida da Bárbara. Para mim foi devastador… e hoje penso, se ao menos eu tivesse feito álbuns ou, pelo menos, imprimido algumas fotografias! Claro que vamos imprimindo uma ou outra, mas tanta coisa se perdeu…

Daí ser tão importante imprimir! Ficam para sempre!

Diana Morais Fotografia Blurb Koy Lab

Ainda não o faço com a regularidade que quero, mas faço pelo menos um álbum por ano, com as fotografias que vou captando ao longo desse ano. Antes de pensar sequer na paginação é preciso lembrar que é preciso fazer uma seleção das melhores fotografias, são milhares de fotografias que tiramos ao longo do ano, mas importa de facto imprimir aquelas mesmo mesmo especiais!

Para este tipo de álbuns pessoais uso a Blurb, tem boa relação qualidade preço e gosto particularmente que seja um livro e dar a sensação de estarmos a folhear a nossa história! Mas por vezes, e quando a ocasião assim o chama, não dispenso a qualidade incrível dos álbuns da minha querida D. Teresa, da KoyLab, que são feitos ainda em grande parte manualmente! I love that!
Depois é tão giro folhear as páginas e ver a evolução dos miúdos, da nossa, recordar as vivências e momentos especiais!

Diana Morais Fotografia

E hoje enquanto separava algumas fotografias para fotografar, dei por mim a olhar para uma fotografia minha de há 11 anos atrás. Num daqueles momentos em que o som fica em modo mute e o tempo parece parar… assim estava eu a olhar para essa fotografia, e a admirar como não tinha olheiras, nem cabelos brancos, ainda sem rugas de expressão e aquele ar tão jovial.. onde a minha única preocupação era nada…nada mesmo… Hoje, com olheiras, metade dos cabelos brancos e uma mão cheia de rugas percebo que isso não interessa nada! Porque o tempo que me separa da fotografia que seguro na mão, me trouxe tudo aquilo que sempre desejei.. mas isso já são outras conversas :D

A ideia principal aqui a reter é mesmo imprimir, imprimir, imprimir. Imprimam as vossas memórias. Dêem-lhes vida, tirem-nas desse computador, telemóvel ou cloud. É a herança que deixamos para as gerações vindouras e ver uma fotografia impressa tem outra magia :)